PODCAST: Tecnologia e Previdência Privada

O Diretor-Presidente da Fundação Família Previdência Rodrigo Sisnandes e também eleito para compor a Diretoria Executiva da ABRAPP na gestão  2020-2022 fala no programa Sintonia Inovação sobre a importância de encontrar soluções tecnológicas para o novo mercado de Previdência Privada. Assunto este debatido durante o evento Triênio Digital para auxiliar a desenhar o planejamento estratégico para os próximos 3 anos da entidade.

Mídias sociais, novos produtos, simplificação, desburocratização, compartilhamento e um mundo cada vez mais digital foram alguns dos temas abordados. Saiba sobre essas novas perspectivas no podcast abaixo.

 





Rodrigo Sisnandes assume diretoria da ABRAPP

sisnandesPosse dos eleitos ocorreu no dia 30 de janeiro, em São Paulo.

O Presidente da Fundação Família Previdência, Rodrigo Sisnandes Pereira, assumiu ontem a Diretoria Executiva da ABRAPP (Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar). A mesa diretora é composta por representantes de entidades de todo o país e será presidida por Luís Ricardo Marcondes Martins por um período de três anos.

Para Rodrigo Sisnandes, a participação neste colegiado vai ao encontro dos objetivos de expansão da Fundação. “Este é um fórum muito importante para defesa dos interesses das Entidades Fechadas de Previdência Complementar e dos participantes que fazem parte deste circuito. Atuaremos ativamente na agenda institucional da ABRAPP, a fim de fomentar o sistema, contribuir para o debate de novas soluções e trabalhar para democratizar o acesso à previdência privada sem fins lucrativos. Ao participar deste colegiado, estamos projetando a Fundação em âmbito nacional, trabalhando ao lado de entidades de grande representatividade no país”.

A ABRAPP representa cerca de 300 entidades. Hoje o segmento administra ativos da ordem de quase R$ 1 trilhão, equivalente a 14% do PIB e conta com 7,4 milhões de participantes e dependentes.

A Fundação Família Previdência é a maior entidade do segmento no Rio Grande do Sul, com patrimônio de R$ 7,4 bilhões e 18 mil participantes. Em 2019, a rentabilidade consolidada foi de 20,87%, 350% do CDI. Nos últimos 12 meses, o patrimônio da Fundação cresceu R$ 916 milhões, enquanto a folha anual de benefícios ficou em torno de R$ 650 milhões.

Nota sobre ação judicial da CEEE

ceeeprevA CEEE, empresa que criou e patrocina o Plano CEEEPrev, ingressou com ação na justiça, reivindicando a paridade contributiva da reserva a amortizar, compromisso previsto  no regulamento do plano, assumido pela empresa com os participantes migrados do Plano Único para o CEEEPrev, em novembro de 2002.

Informamos que o assunto está em análise na Gerência Jurídica da Fundação. A entidade tomará as providências para preservação do contrato previdenciário firmado entre a CEEE, a Fundação e seus participantes e aprovado pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar – PREVIC.

A ação da CEEE não afeta os participantes do Plano CEEEPrev que ingressaram na Fundação a partir de novembro de 2002.

Empréstimo “pula-pula” permite postergação de parcelas

Participantes poderão postergar até duas parcelas do empréstimo a cada 12 prestações do contrato.

Logo após o período de férias, a grana está mais curta para as pessoas cobrirem as despesas do mês seguinte. É hora de comprar o material escolar, acertar as contas do IPVA e do IPTU que ficaram para trás, entre outras despesas pendentes.

Como pagar tudo isso e ainda honrar a prestação do empréstimo da Fundação?

Para dar uma forcinha na organização financeira dos participantes, a Fundação lançou o empréstimo “pula-pula”, uma modalidade de postergação da parcela do mês seguinte, que não gera inadimplência para o participante.

Como funciona
A postergação do pagamento pode ser solicitada por duas vezes a cada 12 prestações do contrato. As parcelas “puladas” serão acrescidas no final do contrato e todas as parcelas a pagar serão recalculadas com os juros referentes ao mês que foi pulado.

O participante terá que manifestar o desejo de postergar a parcela do mês seguinte.

O pedido deverá ser efetuado até o último dia útil do mês anterior.

 A possibilidade de postergação de parcelas do empréstimo será incluída automaticamente nos contratos vigentes no prazo de sete dias, contados a partir de 30 de janeiro 2020.

Para mais informações, contate a Central de Relacionamento: 0800 51 2596 (de fixo) ou 51 3027 1221 (de celular).

 

 

Rodrigo Sisnandes integrará diretoria da ABRAPP

sisnandesPosse dos eleitos ocorre no próximo dia 30 de janeiro.

O Presidente da Fundação Família Previdência, Rodrigo Sisnandes Pereira, foi eleito para compor a Diretoria Executiva da ABRAPP (Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar). A posse dos novos dirigentes ocorrerá no próximo dia 30 de janeiro. Definida em voto entre associados, a nova mesa irá assumir mandato de três anos para o período de 2020 a 2022. Luís Ricardo Marcondes Martins continua na presidência da Associação.

Para Rodrigo Sisnandes, a participação neste colegiado vai ao encontro dos objetivos de expansão da Fundação. “Este é um fórum muito importante para defesa dos interesses das Entidades Fechadas de Previdência Complementar e dos participantes que fazem parte deste circuito. Atuaremos ativamente na agenda institucional da ABRAPP, a fim de fomentar o sistema, contribuir para o debate de novas soluções e trabalhar para democratizar o acesso à previdência privada sem fins lucrativos”.

A ABRAPP representa cerca de 300 entidades. Hoje o segmento administra ativos da ordem de quase R$ 1 trilhão, equivalente a 14% do PIB e conta com 7,4 milhões de participantes e dependentes.

Rentabilidade consolidada chega a 20,87% em 2019

Com um dos melhores resultados dos últimos cinco anos, a Fundação Família Previdência fechou 2019 com 20,87% de rentabilidade nominal. O segmento de Renda Variável, composto principalmente por ações em Bolsa de Valores, teve retorno de 33,51% no ano, enquanto o segmento de Renda Fixa, composto por títulos públicos federais rendeu 19,54% no período. Cerca de 95% dos ativos dos planos estão alocados nesses dois segmentos.

Descontando a inflação, medida pelo INPC, de 4,48%, o retorno real dos investimentos da entidade foi de 15,69%. O CDI, taxa utilizada como referência em aplicações financeiras, foi de 5,95%.

Gestão de investimentos
O ano de 2019 foi muito positivo, sobretudo para quem aplica em Bolsa de Valores. As sucessivas reduções na taxa básica de juros ao longo do ano, chegando ao mínimo histórico de 4,5%, em dezembro, pressionaram os investidores a buscarem novas alternativas para alocar seus recursos. Ao longo do segundo semestre, a Fundação ampliou gradativamente suas posições em Renda Variável para os atuais 20,6% da carteira. Em maio, a entidade estava com 16,7% investidos neste segmento.

“Este resultado representa o desempenho global da Fundação. Cada plano tem uma política de investimentos alinhada com suas necessidades, gerando resultados diferentes conforme a composição da carteira de ativos”, comenta Gilberto Gischkow Valdez, Diretor Financeiro da Fundação. Os participantes podem acompanhar os resultados de seus respectivos planos na área de autoatendimento no site e pelo app Meu Plano.

Confira, no gráfico abaixo, o comparativo do resultado de 2019, com alguns indicadores econômicos.

rentabilidade3

Fundação reajusta benefícios em janeiro

Confira o reajuste nos benefícios dos planos previdenciários administrados pela Fundação Família Previdência aplicado a partir de janeiro de 2020. Alguns planos são reajustados conforme a variação positiva do INPC do ano anterior, enquanto outros são reajustados pelo INPC pleno. Em 2019, a variação positiva do INPC foi de 4,53%, enquanto o INPC pleno foi de 4,48%. No mês de setembro o índice inflacionário apresentou variação negativa de 0,05%. Leia mais

Fundação publica Política de Investimentos 2020

Está disponível no site a nova edição da Política de Investimentos da Fundação Família Previdência para o período de 2020 a 2024. Este documento define as linhas gerais das aplicações dos recursos garantidores de benefícios dos planos administrados pela entidade.capa_pi_2020

Entenda como a Fundação faz a gestão dos recursos financeiros dos planos previdenciários.

  • Segmentos de investimentos.
  • Limites de alocação dos recursos por plano.
  • Expectativa de rentabilidade para 2020.
  • Gestão de riscos.
  • Rentabilidade dos planos.

E muitas informações que descrevem a gestão estratégica de investimentos adotada pela Fundação Família Previdência.

Acesse o documento clicando na imagem ao lado.

Adesão do SINDHA está aprovada

sindhaNa virada do ano, a Superintendência Nacional de Previdência Complementar – PREVIC aprovou a adesão do SINDHA, Sindicato de Hospedagem e Alimentação de Porto Alegre e Região, ao Plano Família Previdência Associativo. A entidade representa 500 empresas no segmento hoteleiro e de restaurantes. Agora, as empresas associadas ao SINDHA, poderão oferecer a seus empregados o plano de previdência da Fundação.

Esta é a terceira entidade que adere em menos de um ano ao Família Previdência, ampliando o potencial de ingresso de novos participantes. Em 2019, a Fundação recebeu as adesões da ABRH-RS e do CEAPE Sindicato. Ainda depende de aprovação final o ingresso da Adjori-RS, entidade que representa 200 jornais do interior do Estado.

Fundação supera em 12% a meta de adesões de 2019

meta_participantesCom o ingresso de 2.242 novos participantes, a Fundação Família Previdência supera em 12% a meta de adesões estabelecida para 2019. “Queríamos colocar 2 mil participantes até o final do ano passado e atingimos essa meta com dois meses de antecedência”, comemora Rodrigo Sisnandes Pereira, diretor-presidente da Fundação. O total de participantes chegou a 17.960.

Por conta deste resultado, as metas estão um pouco mais ousadas em 2020. A Fundação quer colocar mais 2.500 participantes nos planos previdenciários. Algumas ações já estão em andamento, como as visitas às colônias de férias da AFCEEE no litoral gaúcho. A AFCEEE é instituidora do Plano Família Previdência Associativo.

A maioria dos novos participantes está ingressando neste plano. Para ter uma ideia, em dezembro de 2018 o Família Previdência estava com 1.566 participantes. Em dezembro de 2019 o número saltou para 3.605, um crescimento de 130%. “As pessoas estão percebendo a importância de fazer um plano para seus familiares e ainda investir em uma segunda opção de poupança previdenciária”, analisa Sisnandes.

Em um modelo flexível, o Família Previdência oferece aposentadoria a partir dos 50 anos de idade. O participante pode começar sua poupança previdenciária com contribuições a partir de R$ 50,00. O plano também pode ser utilizado como investimento de longo prazo para garantir os estudos dos filhos, fazer uma viagem e ajudar na compra de bens de maior valor.

No site do plano tem um simulador que ajuda o participante a avaliar quanto seu dinheiro pode crescer.

Acesse www.familiaprevidencia.com.br