Investidores de longo prazo superam crises

comparativo_15anos_2005_2019Fundação já enfrentou várias crises que afetaram a economia nacional e mundial nos últimos anos, mantendo excelentes retornos dos investimentos no longo prazo.

Nos últimos 40 anos, a Fundação Família Previdência atravessou com maestria crises de alto impacto econômico e social, vindo a se tornar a maior entidade de previdência complementar do Rio Grande de Sul e uma das maiores do Brasil. Mesmo com alguns solavancos pontuais, a rentabilidade acumulada, nos últimos 15 anos (2005-2019), foi de 546,1%, muito superior ao CDI, índice de referência do mercado que foi de 382,3% e à poupança que rendeu apenas 174,8% no mesmo período.

A seguir, apresentamos um resumo das grandes crises mais recentes que afetaram os investimentos em todos os segmentos da economia no âmbito nacional e mundial.

asia1997: Crise dos Gigantes Asiáticos. Em julho daquele ano a moeda tailandesa se desvalorizou. Logo depois caíram as de Malásia, Indonésia e Filipinas, repercutindo também em Taiwan, Hong Kong e Coreia do Sul. O efeito desses recuos arrastou as outras economias da região, convertendo-se posteriormente na primeira crise em escala global. O FMI elaborou uma série de pacotes de resgate para salvar as economias mais atingidas e promoveu várias reformas estruturais. A bolsa brasileira teve queda de aproximadamente 43% durante este período.

bolha_pontocom2000: Crise das pontocom. Os excessos da nova economia deixaram um rastro de quebras, fechamentos, compras e fusões no mundo da internet e das telecomunicações, e também um grande buraco nas contas das empresas de capital de risco. Em apenas três anos, a crise apagou do mapa quase cinco mil companhias e algumas das maiores corporações do setor de telecomunicações, vítimas dos maiores escândalos contábeis da história. A bolsa brasileira teve queda de aproximadamente 22% durante este período.

11_setembro2001: Torres Gêmeas. Os atentados de 11 de setembro de 2001 contra as Torres Gêmeas em Nova York e o Pentágono em Washington, que deixaram um balanço de cerca de três mil mortos, provocaram também queda nas bolsas. O índice Nikkei de Tóquio caiu mais de 6%, e os pregões europeus tiveram fortes recuos que levaram os investidores a buscar refúgio no mercado do ouro e em bônus do Tesouro americano. A bolsa brasileira teve queda de aproximadamente 16% durante este período.

sub_prime2008-2009: A Grande Recessão. Os EUA sofreram a maior crise financeira desde os anos 1930, consequência de um relaxamento na avaliação do risco de ativos. O mau momento contagiou o resto do mundo. O detonante foi a explosão de uma enorme bolha imobiliária, que revelou que os bancos tinham estendido hipotecas lixo (subprime) a pessoas sem condições de pagá-las, com a expectativa de que o preço dos imóveis seguisse subindo. A bolsa brasileira teve queda de aproximadamente 57% durante este período.

2009-2010: Crise da dívida na Europa. O novo Governo da Grécia reconhece que o déficit do país é muito superior ao revelado anteriormente, o que altera o interesse nos mercados por seus bônus. União Europeia (UE) e FMI negociam durante meses um programa de ajuda, enquanto os investidores continuam castigando a Grécia. E, em maio, finalmente aprovam um plano de resgate dotado de 110 bilhões de euros (US$ 140 bilhões) para os próximos três anos. Então, os mercados já começam a duvidar da capacidade de outros países europeus de pagar sua dívida. O contágio da ansiedade afeta em particular Portugal, Espanha, Irlanda e Itália, e afunda o valor do euro. A bolsa brasileira teve queda de aproximadamente 16% durante este período.

2015-2016: Impeachment Governo Dilma. A destituição de uma Presidente da República foi um fato que gerou extrema volatilidade na economia brasileira. As acusações versaram sobre desrespeito à lei orçamentária e à lei de improbidade administrativa por parte da Presidente, além de lançarem suspeitas de envolvimento da mesma em atos de corrupção na Petrobras, que eram objeto de investigação pela Polícia Federal, no âmbito da Operação Lava Jato. A bolsa brasileira teve queda de aproximadamente 35% durante este período.

greve2018: Greve dos Caminhoneiros. A paralisação dos caminhoneiros em 2018 causou graves impactos na economia brasileira, como indisponibilidade de combustíveis e desabastecimento de alimentos. Os grevistas se manifestaram contra os reajustes frequentes e sem previsibilidade mínima nos preços dos combustíveis, principalmente do óleo diesel, realizados pela estatal Petrobras com frequência diária, pelo fim da cobrança de pedágio por eixo suspenso. A bolsa brasileira teve queda de aproximadamente 19% durante este período.

Fundação manterá plano de prevenção ao coronavírus por tempo indeterminado

Atendimento presencial na Central de Relacionamento continuará fechado. Participantes podem acessar os canais eletrônicos e digitais.

Por causa do aumento do número de casos de covid-19 no Rio Grande do Sul e em Porto Alegre e em atendimento às medidas de prevenção recomendadas pelo poder público, a Fundação Família Previdência manterá fechado o atendimento presencial em sua sede por tempo indeterminado. Os colaboradores estão trabalhando em regime de home office desde o dia 19 de março, com atendimento funcionando nos canais eletrônicos e digitais.

“Tínhamos a previsão de retornar na próxima quinta-feira (02 de abril), mas consideramos que, pelo menos até o final desta semana, isso não será possível. Nossa preocupação, em primeiro lugar, é com a saúde e bem-estar de nossos participantes e colaboradores”, afirmou Rodrigo Sisnandes Pereira, Diretor Presidente da entidade.

Assim que a circulação de pessoas retornar à normalidade, a Fundação reabrirá suas portas para atendimento presencial. Dos 18 mil participantes, mais de 9.200 são aposentados e pensionistas, a maioria com mais de 60 anos de idade, um dos principais grupos de risco para desenvolver a covid-19, segundo a Organização Mundial da Saúde.
Mesmo com seu efetivo em trabalho remoto, a entidade está mantendo os serviços em funcionamento. Nesta segunda-feira (30) serão depositados os benefícios do mês de março para aposentados e pensionistas. Uma folha de aproximadamente R$ 50 milhões.

FIQUE EM CASA, USE OS CANAIS ELETRÔNICOS E DIGITAIS

  • Acesse o seu plano com o CPF ou RE na barra superior deste site.
  • Ligue: 0800 51 2596 (de fixo) 51 3027 1221 (de celular).
  • Baixe o app Meu Plano na App Store e no Google Play.

meu_plano_4app_storegoogle_play

Coronavírus afeta retorno dos investimentos em todos os mercados

investimentoFundação manterá política focada no longo prazo, aproveitando oportunidades de compra no período de baixa.

A crise provocada pela pandemia de coronavírus afeta, além da saúde das pessoas, o comportamento da economia mundial. Os principais mercados financeiros de negócios e das cadeias de produção globais, estão passando por um período de maior incerteza devido à explosão nos casos relatados de covid-19 na Ásia, na Europa, em especial Alemanha, Espanha e Itália, e, mais recentemente, na América, com um novo epicentro nos Estados Unidos.

Pandemias como esta não trazem consigo avisos prévios, e atingem todos os tipos e classes de investimentos e a economia real, com a paralisação de serviços, comércio e indústria, algumas em maior magnitude, outras em menor.
Nas duas primeiras semanas de março, o índice Ibovespa, o mais importante indicador do desempenho médio das cotações das ações negociadas na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo), registrou desvalorização superior a 30%. Neste segmento, a Fundação Família Previdência tem alocado 20% dos seus ativos. A volatilidade também foi percebida no segmento de Renda Fixa, representado principalmente por Títulos Públicos Federais, onde estão alocados aproximadamente 75% dos investimentos da entidade.

Pense no longo prazo
A Política de Investimentos da Fundação Família Previdência foi desenhada para atravessar períodos de volatilidade e estresse como esse, além de ter um forte arcabouço regulatório que busca proteger os recursos de participantes ativos e assistidos. Os portfólios de investimento habitualmente contemplam diferentes classes de ativos, a fim de diversificar os riscos dos investimentos. “Embora momentos como o que atravessamos certamente resultarão em rentabilidades piores do que as usuais, com grande probabilidade de retornos negativos por um determinado período de tempo, no futuro serão vistos como solavancos numa longa viagem. Os participantes devem considerar seu horizonte de investimento e procurar manter uma perspectiva de longo prazo em relação à sua poupança para a aposentadoria, buscando não se concentrar muito nos movimentos de mercado de curto prazo”, explica Gilberto Gischkow Valdez, Diretor Financeiro da Fundação. A rentabilidade acumulada, nos últimos 15 anos (2005-2019) foi de 546,1%, muito superior ao CDI, índice de referência do mercado que foi de 382,3% e a poupança que rendeu apenas 174,8% no mesmo período.

É hora de adquirir posições
Em momentos de volatilidade como este, os mercados sempre darão oportunidades para realização de bons investimentos em ativos subavaliados aos investidores com horizonte de longo prazo e a Fundação Família Previdência está atenta a estas oportunidades. Agora, não é o momento para tomar atitudes intempestivas. Resgates ou troca de estratégias de investimentos com foco exclusivo no curto prazo podem ser prejudiciais para a aposentadoria dos participantes.

“Assim como as ações que estão em baixa, as cotas dos planos em períodos de queda, também são excelentes oportunidades para o participante aumentar seus aportes”, recomenda o Diretor Presidente, Rodrigo Sisnandes Pereira. “Este é o momento para manter a calma, conversar com os especialistas da Fundação Família Previdência, que vão esclarecer dúvidas e zelar pela poupança previdenciária dos participantes. Para isso, temos uma equipe experiente, com mais de 40 anos de atuação no segmento de Previdência Complementar”, conclui Sisnandes.

Benefícios serão depositados em 30 de março

dinheiroCom uma folha mensal de R$ 50 milhões, a Fundação Família Previdência manterá em dia o pagamento dos benefícios de seus 9.200 assistidos, agendado neste mês para o dia 30.  Hoje, mais de 90% dos colaboradores estão trabalhando em suas casas, acessando remotamente os sistemas corporativos para honrar os compromissos com os participantes neste momento de incertezas quanto ao avanço do coronavírus. A palavra de ordem é permanecer em casa, praticar o distanciamento social, reforçar os hábitos de higiene e cuidar da saúde, principalmente para os idosos, um dos principais grupos de risco para contrair e desenvolver a covid-19.

Como medida preventiva, a entidade continua com o atendimento presencial suspenso, com previsão de retorno no dia 02 de abril. Para contatar a Fundação, os participantes podem utilizar os canais eletrônicos e digitais disponíveis no site e no aplicativo Meu Plano.

Participante: a hora é de ficar em casa

A Fundação Família Previdência está acompanhando e seguindo as orientações do poder público em âmbito municipal, regional e nacional para combater o coronavírus. Os idosos compõem um dos principais grupos de risco para contrair e desenvolver a covid-19. A Fundação Família Previdência possui mais de 9.200 aposentados e pensionistas, a maioria com mais de 60 anos. Este é o momento para ficar em casa, buscar atendimento nos canais eletrônicos e digitais da entidade e deixar para os familiares mais jovens as tarefas que precisam ser feitas na rua.

Decreto municipal
Com o objetivo de evitar o contágio de pessoas idosas, a Prefeitura Municipal de Porto Alegre publicou decreto que determina medidas de distanciamento social para quem tem mais de 60 anos de idade. Fica permitido o deslocamento somente para realização de atividades estritamente necessárias como atendimento médico e hospitalar, realização de exames laboratoriais, vacinação, compra de alimentos e de produtos vendidos em farmácias. É necessário que o idoso esteja portando documento de identidade. O descumprimento estará sujeito à multa e demais penalidades dispostas na legislação.

Confira a íntegra do Decreto disponível no site da Prefeitura de Porto Alegre.

Clique aqui

Adesão da ADJORI-RS está aprovada

14483631455060Mais um instituidor acaba de aderir ao Plano Família Previdência Associativo. A ADJORI-RS, entidade que representa 200 jornais do interior do Estado teve seu convênio de adesão aprovado pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar – PREVIC, em 18 de março. A divulgação saiu hoje, (20/03), no Diário Oficial da União.

Além dos empregados vinculados aos jornais associados os assinantes destes veículos de comunicação também podem ser participantes do plano. Esta é a quarta entidade que adere em menos de um ano ao Família Previdência, ampliando o potencial de ingresso de novos participantes. Em 2019, a Fundação recebeu as adesões da ABRH-RS e do CEAPE Sindicato. Na virada do ano, o SINDHA, Sindicato de Hospedagem e Alimentação de Porto Alegre e Região, teve seu convênio de adesão aprovado. A entidade representa 500 hotéis e restaurantes.

“Conquistamos nosso 21º cliente e seguimos firmes com o plano de expansão da Fundação, negociando com outras organizações interessadas em oferecer um benefício de renda continuada de aposentadoria para seus empregados e associados”, destacou Rodrigo Sisnandes Pereira, Diretor-Presidente da Fundação.

O Plano Família Previdência cresceu 124% em número de participantes nos últimos 12 meses, chegando a 3.790 em fevereiro. Em volume de patrimônio está com R$ 29,5 milhões, um crescimento de 115% nos últimos 12 meses. A meta de adesão da Fundação para 2020 é de 2.500 novos participantes.

Serviços da Fundação seguem em home office

Estrutura foi montada em 72 horas para atender 70% do efetivo.

Neste momento delicado, a Fundação Família Previdência está adaptando seus serviços para continuar atendendo seus 18 mil participantes com presteza e segurança. No primeiro dia de home office foram registrados 108 atendimentos virtuais, por telefone. No autoatendimento pela internet foram registrados 818 acessos e o app Meu Plano teve 268 acessos. A entidade adotou medidas para reduzir a circulação de pessoas em sua sede para prevenir a contaminação com o novo coronavírus. Além de fechar o atendimento presencial, a Fundação colocou 70% efetivo em home office.

“Conseguimos estruturar nossos serviços fora das dependências da entidade em 72 horas. Ontem (19), já estávamos em pleno funcionamento com nossos colaboradores trabalhando em casa, com segurança. Mantivemos uma equipe reduzida em nossa sede, dando apoio a quem está em casa e em atividades essenciais que não podem ser executadas fora da empresa. Com isso, preservamos a saúde de nossos colaboradores e também dos participantes, pois temos mais de 9.200 aposentados e pensionistas”, afirma o Diretor-Presidente, Rodrigo Sisnandes Pereira.

A ideia é ampliar o home office para mais colaboradores ao longo da próxima semana. As atividades estão previstas para voltar ao normal no dia 02 de abril. Por enquanto, a Fundação recomenda aos participantes que utilizem, preferencialmente, os serviços de atendimento eletrônico e digital. Quem não tem senha de acesso pode obtê-la rapidamente, sem burocracia, no site e no aplicativo.

Participantes podem usar canais eletrônicos e digitais para falar com a Fundação

Desde ontem (18 de março), a Fundação Família Previdência adotou medidas preventivas para conter o avanço do coronavírus. Fechou o atendimento presencial, por 15 dias, com retorno previsto para 02 de abril. Parte dos colaboradores está em home office, inclusive parte da equipe de atendimento por telefone, que continua funcionando das 10 às 16 horas.

meu_plano_4Para entrar em contato com a entidade, os participantes também podem utilizar os canais eletrônicos e digitais como o app Meu Plano e a área de autoatendimento disponível no topo do site. Quem não tem senha pode aproveitar para fazer a sua para ter acesso aos serviços da Fundação. O processo é simples e rápido e pode ser feito pelo site e pelo app Meu Plano disponível na App Store e no Google Play.

As medidas têm o objetivo de proteger os participantes e colaboradores da entidade, reduzindo a circulação de pessoas na sede da Fundação e contribuir com as iniciativas adotadas pelo poder público. Para barrar o alcance do coronavírus, foi determinado o fechamento de academias, clubes, casas noturnas, cinemas, teatros, lojas em shopping centers e centros comerciais da capital gaúcha. Há restrições para o funcionamento de bares e restaurantes. As medidas de isolamento social são adotadas para diluir a contaminação das pessoas ao longo do tempo e reduzir a pressão sobre os agentes de saúde pública.

O distanciamento social reduz as possibilidades de contágio. A Fundação tem grande número de idosos entre os participantes, um dos principais grupos de risco para desenvolvimento da covid-19. Evitar sair de casa é uma medida de prevenção que deve entrar na rotina dos participantes nesses tempos de coronavírus.

“Cuidem dos idosos”, recomenda Ministério da Saúde

cuidarDos 18 mil participantes da Fundação Família Previdência, mais de 9.200 já recebem aposentadorias e pensões, a maioria já passou dos 60 anos de idade, ou seja, está em um dos grupos de maior risco de desenvolvimento da covid-19. Nesta terça-feira (17), o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, fez um apelo à população para que cuidem dos idosos. “É hora de filho e filha cuidar de pai, mãe, avó, tia-avó”, afirmou. Recomendou que as pessoas telefonem para saber notícias, mas evitem levar crianças para visitar idosos porque muitas delas não apresentam qualquer sintoma relacionado ao coronavírus, mas podem ser transmissoras da doença. “Elas não desenvolvem nenhuma coriza”, exemplificou o Ministro. “O momento agora é de proteção. Quanto menos idosos nós tivermos com esta gripe, menos pressão nós colocaremos nos leitos de CTI, já que eles, infelizmente, são os que desenvolvem a maior necessidade de cuidado intensivo”, concluiu Mandetta. Neste momento, é preciso que os idosos se conscientizem de que a melhor solução para evitar contato com o coronavírus é ficar em casa, deixar para os familiares mais jovens atividades como ir ao supermercado e à farmácia e receber o carinho dos netos à distância, mesmo que seja difícil.

Fundação adota plano de contingência para prevenção ao coronavírus

Entidade suspende temporariamente o atendimento presencial na Central de Relacionamento. Participantes poderão usar canais eletrônicos e digitais.

A sociedade está vivendo um momento de preocupação com relação ao avanço do coronavírus. Medidas preventivas são necessárias para conter o covid-19 e uma delas é evitar a circulação e aglomeração em locais públicos e privados. Pessoas idosas e com doenças crônicas têm maiores possibilidades de desenvolver a doença. Portanto, ficar em casa é a melhor opção para evitar o coronavírus.

A Fundação Família Previdência cuida da saúde financeira de seus participantes, mas também zela pela segurança e bem-estar físico daqueles que investem e usufruem dos benefícios da previdência privada.

Nesse sentido, a Fundação fechará o atendimento presencial na Central de Relacionamento pelo prazo de 15 dias, a partir desta quarta-feira, 18 de março. Neste período, a Fundação também adotará o regime de home office para seus colaboradores. Por isso, alguns serviços poderão ficar instáveis. Pedimos desculpas por eventuais dificuldades de atendimento nesta fase de contingência para prevenção ao coronavírus.

Solicitamos que os participantes utilizem os serviços pela internet, pelo app Meu Plano e pelo telefone.

As atividades estão previstas para retornar ao normal a partir do dia 02 de abril.

  • Acesse o seu plano com o CPF ou RE na barra superior deste site.
  • Ligue: 0800 51 2596 (de fixo) 51 3027 1221 (de celular).
  • Baixe o app Meu Plano na App Store e no Google Play.

meu_plano_4app_storegoogle_play

 

 

 

Confira, abaixo, o que você pode fazer para evitar o coronavírus

Isolamento é a melhor opção para evitar o contágio.
Evitar locais fechados como shopping centers, aglomerações, circulação em transportes públicos em horário de pico, entre outras medidas, é fundamental para reduzir as chances de contágio. Por isso, instituições de ensino estão suspendendo aulas, eventos públicos são adiados e empresas estão adotando o trabalho em casa para evitar o alastramento da doença.

Medidas de higiene

  • Mantenha os ambientes bem ventilados.
  • Lave as mãos até metade do pulso, esfregando também as partes internas das unhas.
  • Use álcool 70 para limpar as mãos antes de encostar em áreas como olhos nariz e boca.
  • Para tossir ou espirrar, leve a parte interna do cotovelo ao rosto.
  • Evite tocar nariz, olhos e boca antes de fazer a higienização das mãos.
  • Limpe com álcool objetos que você costuma usar bastante, como o telefone celular.
  • Evite cumprimentos com beijos no rosto, aperto de mão ou abraços.
  • Utilize lenço descartável quando estiver com nariz escorrendo.
  • Se tiver sintomas, use máscara e evite sair de casa. Procure um serviço de saúde para avaliar a gravidade do caso.

O que é coronavírus?
covidCoronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. Este agente foi descoberto em 2019 após casos registrados na China. Rapidamente a doença se espalhou pelo mundo, colocando em quarentena países como a Itália que registra surto da doença que atinge milhares de pessoas. O covid-19 já chegou ao Brasil com 200 casos confirmados e 1.915 suspeitos (até domingo 15/03).

Quais os sintomas?
Os sinais e sintomas clínicos do coronavírus são semelhantes aos da gripe ou resfriado. Em casos mais graves, podem ser iguais à pneumonia, com infecção do trato respiratório inferior. Geralmente o paciente apresenta febre, tosse e dificuldade para respirar.

Qual o tratamento para o covid-19?
Repouso e consumo de bastante água. Também é indicado o uso de medicamento para dor e febre, como antitérmicos e analgésicos. É aconselhável o uso de umidificador no quarto ou tomar banho quente para auxiliar no alívio da dor de garanta e tosse. Assim que os primeiros sintomas surgirem, é fundamental procurar ajuda médica imediata para confirmar diagnóstico e iniciar o tratamento. Os casos graves devem ser encaminhados a um Hospital de Referência para isolamento e tratamento.

Informações úteis
saude.gov.br
saude.rs.gov.br